13 março 2009

História (não oficial)

Todos sabemos que existe uma História boa e uma História má. A História boa é aquela que serve os interesses da classe dominante, serve para transmitir a sua ideologia e legitimá-la enquanto classe dominante.
Todos os factos que contradigam a versão oficial da História são abafados, especialmente se vierem pôr em causa a gigantesca campanha de diabolização da União Soviética, que nasceu ao mesmo tempo que a própria Revolução. Ciclicamente são “descobertas” novas embustices sobre a URSS que são veiculadas com grande fervor pelos meios de comunicação social.
Já os factos que ajudam a provar a verdade, nomeadamente que a URSS foi sempre uma defensora da paz entre todos os povos, vítima das mais infames e brutais agressões (pelas quais foi, muitas vezes responsabilizada) e que sempre esteve disposta a colaborar com as potências capitalistas para o prosseguimento de uma política de paz (apesar das divergências politicas) quando revelados nos média, são-no de forma tímida e furtiva.
Se soubéssemos que a URSS propôs aos governos da Inglaterra e da França, duas semanas antes do inicio da II Guerra Mundial o ataque à Alemanha Nazi, comprometendo-se a enviar um milhão de homens e uma força considerável de artilharia e que a França e Inglaterra não se dignaram sequer a responder, com certeza seria um facto que ajudaria a perceber que na realidade as potências Imperialistas “democráticas” sempre esperaram que Hitler atacasse a URSS, dando-lhe assim o seu “espaço vital” e destruindo a pátria dos Sovietes.
A restante Historia é conhecida. A guerra, que podia ter sido evitada não fosse a hipocrisia e ódio de classe dos governos burgueses á União Soviética, foi ganha pelos povos, com muitos milhões de mortos e sofrimentos indizíveis, sendo que a URSS destruiu 85% da máquina de guerra Nazi.

Aquela notícia que referi está aqui.

3 comentários:

poesianopopular.blogs.sapo.pt disse...

Camarada Crixus, para nós sempre esteve tudo muito claro, a divida da europa para com a URSS, é muito grande, abrangendo todo o espaço de tempo da "guerra fria", conseguindo sobreviver a toda a espécie de provocações.
Este teu tema merecia ser bem divulgado, e aprofundado, para que todos tivessem um melhor conhecimento, do que foi o conlúio capitalista na europa do século passado.
Abraço camarada

Anónimo disse...

É acabar com os comunas todos!

Grande Abraço de Brasília

Fernando Samuel disse...

Esclarecer, esclarecer sempre...

Um abraço.