06 janeiro 2009

Tomada de posição da FMJD sobre o ataque de Israel a Gaza, Palestina

A Federação Mundial da Juventude Democrática vem, por este meio, denunciar e veementemente condenar o ataque brutal, ilegal e criminoso do exército israelita a Gaza, território palestiniano. No mesmo sentido vimos expressar que consideramos o facto de Israel ter avançado para o plano militar uma expressão do falhanço da sua política em Gaza e na região.

Nos últimos dias, o exército de Israel, as suas bombas e armas, mataram centenas de palestinianos (logo no primeiro dia 120 polícias palestinianos foram massacrados) e feriram milhares de outros palestinianos cujo único crime é a luta por uma terra e um país que são seus.

O ataque de Israel não é baseado numa motivação defensiva, antes de mais porque o assassinato defensivo e a destruição nunca são o caminho para a paz ou para a resolução de um conflito. É ainda importante relembrar que Israel (com a colaboração activa do Egipto) é o mesmo país que cercou Gaza por largos meses, não permitindo o seu povo ter comunicação com o mundo exterior e deteriorando o nível de vida a um patamar de catástrofe humanitária.

É este mesmo Israel que construiu um ilegal e vergonhoso muro dentro da Palestina, que faz o povo da Palestina não poder mover-se livremente dentro do seu próprio país. É este mesmo Israel que invade diariamente a Palestina para prender arbitrária e ilegalmente palestinianos. O mesmo Israel que corta as oliveiras na Palestina, destruindo a economia palestiniana e deixando os palestinianos desempregados. É o mesmo Israel que está a envenenar a água bebida pelo povo palestiniano, fazendo as taxas de cancro aumentar na Palestina.

A FMJD que o lema de combater o Hamas e o terrorismo foi usado como pretexto para acabar com a resistência palestiniana, que é formada por diversas facções, especialmente forças laicas, populares e de esquerda além do Hamas. A conspiração para acabar com a causa palestiniana é levada a cabo através da destruição simultânea de todos os meios da sua subsistência e pela destruição da identidade palestiniana, objectivo partilhado pelo Egipto, Arábia Saudita, Jordânia e outros regimes árabes. Os EUA apoiam e encobrem a guerra, enquanto a União Europeia vai dando mais tempo a Israel enquanto não emite uma posição, fechando assim os olhos perante uma situação que já há muito era conhecida como muito má e que é claramente catastrófica. É uma conspiração por todos os meios de muitas forças imperialistas, as suas marionetas no Médio Oriente e o Estado criminoso e sionista de Israel.

A FMJD expressa a sua solidariedade total para com todas as acções de resistência e solidariedade organizadas por todo o mundo durante a última semana.

A FMJD apela a todas as suas organizações membro e amigas, bem como a todos os jovens progressistas e democratas do mundo que façam do regresso às escolas, universidades e locais de trabalho o regresso da luta. Neste sentido a FMJD decidiu que entre 5 e 10 de Janeiro, teria lugar uma semana de protesto à escala mundial em frente às embaixadas de Israel, EUA e Egipto para exigir o cessar fogo imediato e a abertura de fronteiras para todas as necessidades do povo de Gaza, bem como o direito de entrar e sair da sua grande prisão.

O Conselho Coordenador/Sede da FMJD
Budapeste, 5 de Janeiro de 2009

2 comentários:

Fernando Samuel disse...

Amanhã, às 18 horas, lá estarei.


Um abraço.

poesianopopular disse...

Amanhã lá estaremos para lhes chamar-mos o que eles são:-ASSASSINOS!
Abraço grande